NFe Youtube - Coopercitrus Mapa do Site

Notícias

Estudo da Apta mais que dobra produção de milho safrinha no Estado de São Paulo

Agropecuária | Publicada em 13/02/2017

A produtividade de milho safrinha no Estado de São Paulo mais que dobrou utilizando os resultados dos estudos realizados pelo Instituto Agronômico (IAC) e pelo Instituto Biológico (IB) da Agência Paulista de Tecnologia dos Agronegócios (Apta), da Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo. A produtividade saltou nos últimos 25 anos de aproximadamente três toneladas por hectare para quase 7 ton/ha.

As últimas pesquisas foram realizadas entre 2015 e 2016 identificando cultivares do milho safrinha adaptáveis às adversidades do cultivo em Palmital, Cruzália, Cândido Mota, Ibirarema, Maracaí, Pedrinhas Paulista e Manduri. A avaliação foi desenvolvida na principal região produtora paulista, com cerca de 100 mil hectares.

Foram analisadas mais de 40 cultivares do milho safrinha observando-se a produtividade de grãos, o acamamento e quebramento de plantas e o comportamento frente às principais doenças da cultura: mancha de Cercospora, mancha de Phaeosphaeria ou mancha branca e queima de turcicum.

Como indicou o pesquisador do IAC Aildson Pereira Duarte, o desenvolvimento e o emprego de cultivares com resistência genética, aliado ao uso de fungicidas para o controle de doenças, podem evitar quedas da produção pela ocorrência de patógenos.

“É uma avaliação fundamental para identificar o comportamento das cultivares mais utilizadas, além de testar novas inserções de cultivares melhoradas no mercado. O desenvolvimento do estudo para que a produtividade dobrasse nos últimos 25 anos, passando de mais de 3000 kg/ha para quase 7000 kg/ha no médio Paranapanema”, explicou Duarte.

Com plantio aconselhado entre meados de fevereiro até meados de março, a safrinha já tem área de produção superior à safra de Verão no Estado de São Paulo. Foram 443 mil hectares contra 384 mil hectares de cultivo em 2015/16.

No ano passado, as cultivares transgênicas precoces que se destacaram expressivamente como resistentes à mancha branca foram: NS 92 PRO 2, LG 3055 PRO, AS 1642 PROX, 2B610 PW, ADV 9434 PRO 2, MG744 PW, RB 9006 PRO2 e 2B587, além do híbrido JM 4M50, que apresentou alta resistência entre os convencionais.

Entre as superprecoces, as mais resistentes foram: JM 2M80, JM 2M60, BM 815, 20A78 PW. Apenas 2B610 PW e JM 4M50 mostraram-se com resistência elevada também à mancha de Cercospora e à queima de turcicum entre as cultivares comuns em 2015 e 2016.

Para o secretário de Agricultura e Abastecimento paulista, Arnaldo Jardim, o trabalho realizado pelos institutos da Apta é determinante para a geração de renda dos produtores de milho. “Aproximar as inovações tecnológicas do campo para oferecer mais condições e apoio aos pequenos e médios agricultores paulistas é uma das principais determinações do governador Geraldo Alckmin para a atuação da Secretaria”, ressaltou.

Voltar

Apresentação Coopercitrus

Institucional

Lojas de Conveniência

Postos de Combustíveis

Shopping Rural

Insumos/grãos

Máquinas Agrícolas

Revista Agropecuária

Trabalhe Conosco

Códigos e Estatuto

Filiais

Feiras

FEACOOP

Agrishow

Balcão do Agronegócio

Classificados

Usados

Imóveis

A Venda

Em Licitação

Revista

Notícias

Sustentabilidade

Ação Social Cooperada

Campo Limpo

Central de Embalagens Vazias de Agrotóxico

Certificação de Café e o 4 C

Natal da solidariedade

TrendIT's Desenvolvimento de Websites
Coopercitrus Cooperativa de Produtores Rurais - Telefone: (17) 3344-3000
Praça Barão do Rio Branco, nº 9, Centro - CEP: 14.700-129- Bebedouro, SP

Coopercitrus 2017 - Todos os direitos reservados